Buscar
  • Sâmela Santos

Entendendo o Mercado de Produtos Sazonais da Páscoa: Oportunidade de Lucro no Mercado Global



Os períodos sazonais no ramo mercadológico consistem essencialmente em uma determinada temporada de vendas no qual o lucro é ligado diretamente à demanda de um grupo de produtos definidos ou, um tipo de serviço a ser prestado. Os períodos sazonais agitam a economia de determinada forma, que as empresas se preparam logisticamente para que sua oferta no mercado acompanhe a demanda. Logo, ajustam sua cadeia de suprimentos e produção para alcançar o mercado em sua totalidade e, consequentemente, disputar o mercado com outros empreendimentos.


A páscoa é um exemplo claro de período sazonal, a alta demanda faz com que as produtoras de ovos de páscoa, bombons e chocolates em geral comecem a se organizar em até 12 meses antes de colocar seus produtos no mercado, dependendo do porte da empresa. Vale mencionar, sobre o costume de comer peixes na semana santa, fazendo com que haja uma elevação na demanda por esses produtos e, consequentemente, seu preço tende a se elevar. Se para o mercado interno já se faz necessário uma logística de planejamento que antecede o alcance do consumidor em um período considerado longo, para a exportação desses produtos a gravidade de planejamento se torna maior visto que, os trâmites que compõem uma exportação tornam os processos mais complexos.


Mesmo o Brasil sendo um país com um elevado potencial no mercado da pesca, muito influenciado por sua grande extensão litorânea, boa parte da quantidade de peixes que consumimos vem de outros países ao redor do mundo. “As importações se intensificam, visando a Páscoa, momento em que o pescado está muito presente nas refeições dos brasileiros. Os principais peixes importados são o salmão, do Chile; a polaca, pescada no Oceano pacífico e processada na china; o peixe-panga do Sudeste Asiático; e o bacalhau, pescado no Atlântico Norte”, segundo Jailson Souza, Sales Manager da DC Logistics Brasil.

Para a exportação de produtos perecíveis, o cuidado é redobrado. Para o despacho são utilizados caminhões refrigerados e depois são enviados em contêineres para exportação. É preciso se atentar a todos os detalhes pois, erros na adequação da temperatura e/ou armazenamento podem acarretar em perda de carga e consequentemente, gerar prejuízos.

Qual o Cenário Para o Ramo de Cacau/Chocolates?

Em relação ao mercado mundial de chocolates (advindo de sua matéria-prima principal, o cacau), conforme dados oferecidos pelo portal Comex Stat, no ano de 1997 a capacidade de exportação era de 18,7 milhões de toneladas, enquanto para 2017 (20 anos depois), a capacidade das exportações cresceu para 22,6 milhões de toneladas. Aconteceu uma progressão de 20,62% em vinte anos, numa média de 0,94% ao ano. Levantando um comparativo em relação aos anos de 2017 e 2018, o crescimento da capacidade das exportações foi de 10,48%. Ou seja, números otimistas para esse ramo mercadológico.

Como ocorre a produção de Cacau/Chocolate?

Segundo o Portal FazComex, o estado da Bahia é o principal exportador brasileiro de cacau, o estado fortificou sua liderança na produção e consequente entrega de amêndoas para a indústria. No ano de 2021, os agricultores baianos entregaram 140.928 toneladas, aumento de 39,72% em relação a 2020 (100.864 toneladas). Esse foi o resultado mais positivo desde o ano de 2017, segundo o portal de notícias Correio. No Estado, a região com mais cultivo do cacau é o Sul, ou seja, a Bahia é de fato um polo para a produção do produto e além disso, busca ainda mais crescimento no setor.


É interessante tomar conhecimento de como o chocolate chega nas prateleiras em todo mundo, com início na sua produção, em síntese (segundo o portal FazComex): As sementes do cacau são retiradas, dependendo do tamanho das frutas, há de 20 a 50 unidades de cacau. Posteriormente, é feita a secagem das sementes, colocando-as no sol por, em média, oito dias. Completando sua secagem, a sementes são colocadas em sacos e se direcionam para a indústria.


Depois é colocado em prática a torrefação, sendo um procedimento que elimina a umidade presente nas sementes através do aquecimento e, posteriormente, seu aroma é liberado. Antes de se encaminharem ao triturador, elas são resfriadas. E no triturador, as amêndoas são separadas das cascas. Em seguida, a moagem é feita, quando o produto, que anteriormente era uma unidade, passa a estar em vários pedaços.


O cacau vira uma espécie de massa, e em seguida, passa pela prensagem, separando em dois: a manteiga de cacau e a torta de cacau. Na malaxação, os chocolates passam a ser distintos, o branco leva manteiga de cacau, leite e açúcar; o ao leite, a torta, a manteiga de cacau, leite e açúcar; o chocolate amargo, todos os ingredientes, com exceção do leite.

A XPORT Jr. Pode Ajudar a Sua Empresa a Maximizar Seus Lucros

Num mercado tão promissor para o Brasil e em meio ao retorno do crescimento das exportações de uma forma ampla, muito devido ao decréscimo do número de casos de COVID-19 ao redor do mundo, se faz altamente necessário a contratação de um serviço de consultoria e suporte internacional para que haja mais planejamento e gerenciamento nas exportações. A XPORT Jr. é uma empresa inteiramente capaz de oferecer os conhecimentos necessários de quais documentações providenciar para sua exportação, minimizando o tempo com análise de trâmites burocráticos, sendo assim, mais tempo remanescente para focar na qualidade do produtos em outros elementos relacionados a empresa contratante do serviço de consultoria. A XPORT Jr. oferece serviços de Análise de Mercado Internacional, Planejamento de Exportação, Planejamento Logístico e Prospecção de Mercados. Entrando em contato através desta página é possível compreender como podemos colaborar para o crescimento de sua empresa.


51 visualizações0 comentário