Buscar
  • Rafael Estrella

As Mil e Uma Oportunidades de Exportação no Mundo Árabe



Muito é discutido atualmente sobre o mundo árabe na mídia, e não é difícil imaginar que no imaginário popular a expatriação de refugiados, o terrorismo e o extremismo religioso sejam a ilustração do que nós brasileiros pensamos sobre a cultura desses países.


No entanto, na realidade a situação é completamente diferente. Famosos, também, pela riqueza histórica, pela riqueza dos sheiks e pelo turismo, sobretudo em regiões como Dubai, onde pode se encontrar o Burj Khalifa - o maior arranha-céu do mundo. Muitos desses estados são ricos e politicamente estáveis, como o Catar e o Emirados Árabes Unidos, por exemplo, onde o produto interno bruto - PIB equivale a mais de 400 milhões, o dobro do PIB de Portugal.


Além disso, muitos desses estados possuem uma ótima relação com o Brasil inclusive. Aliás, você sabia que o mundo árabe representa uma parcela significativa dos importadores de produtos brasileiros? Segundo o Comexstat, a plataforma de dados do comércio exterior do governo brasileiro, exclusivamente no ano de 2020 o Brasil lucrou 500 milhões de reais com as exportações para Omã, no ano anterior o valor quase chegou a 1 bilhão.


Se você tem uma pequena ou média empresa, a exportação pode alavancar seu negócio, e a exportação para esses países pode ser a escolha certa. Então, fique nesse artigo para poder conhecer mais sobres as oportunidades de exportação no mundo árabe.


Mas Então, Quais Países Fazem Parte do Mundo Árabe?


Primeiramente, é importante que você conheça a liga árabe, esta liga é uma organização multinacional de países falantes da língua árabe e tem como missão promover o comércio e o crescimento econômico, assim como, a estabilidade política entre seus membros. Ou seja, independente da religião ou de se localizarem no oriente médio, as nações árabes são definidas pela língua que falam, o árabe.


A liga atualmente é formada por 22 nações que serão listados a seguir: Arábia Saudita, Argélia, Bahrein, Catar, Comores, Djibuti, Egito, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Iraque, Jordânia, Kuwait, Líbano, Líbia, Mauritânia, Marrocos, Omã, Palestina, Somália, Sudão, Síria e Tunísia.

Religião e Cultura


Segundo o Banco Mundial, a estimativa populacional da liga é de 427 milhões de pessoas, que compartilham o mesmo idioma. O estado mais populoso entre eles é o Egito, possuindo sozinho aproximadamente 100 milhões de habitantes. Além do islamismo, principal fé da região, outras crenças são professadas, como o catolicismo e o judaísmo.


Para exportar para os árabes há diversos fatores que devem ser levadas em consideração, tendo em vista um forte espírito de barganheiros e a crescente adesão às redes sociais. Entre eles estão o conhecimento dos procedimentos muçulmanos, como o certificado Halal, que regulariza, entre outras coisas, o modo de abate do animal, a presença de álcool no produto e o uso de carne suína, que é proibida aos muçulmanos.


Relação Comercial do Mundo Árabe com o Brasil


Aficionados pelo futebol, assim como o Brasil, o Egito, é um dos países mais preponderantes da lista, seja pela sua história ou pela sua capacidade de importação. Rendendo ao Brasil 2 bilhões de reais no ano de 2018, a relação entre os dois países tem aprimorado.


No dia 1 de setembro de 2017 foi assinado um acordo comercial entre o Egito e o Mercosul, o que possibilitou um crescimento de 21,1% nas exportações do Brasil para o país. Além de promover a possibilidade de que, aproximadamente, 719 produtos do bloco tenham a eliminação da taxa de ingresso no mercado egípcio.


Já no Marrocos, onde a relação comercial tem crescido e demonstrado um imenso interesse e potencial, as exportações do Brasil atingiram em torno de 270 milhões de dólares em 2019, e ainda sim, esse número teve um aumento em 2020, tornando o Marrocos um importante destino para a exportação de nossos produtos.


Com o advento e popularidade das redes sociais alguns dos produtos que tem tido um crescente destaque no mundo árabe são os calçados, sobretudo os chinelos de dedo e tênis que tem se tornado cada vez mais comuns na região.


Ademais, os cosméticos também tiveram uma busca maior nos últimos anos. Principalmente o subsetor de produtos capilares. E é nesse setor que os produtos brasileiros são vistos como referência no mundo árabe, em especial no Iraque. Isto acontece devido à valorização das propriedades que as frutas e especiarias naturais típicas das nossas terras possuem e agregam na fabricação desses cosméticos.


Segundo a Agência de Notícias Brasil-Árabe - ANBA, alguns dos outros produtos brasileiros com grande procura nesses locais foram a soja, o milho, a carne bovina e a carne de frango, no qual a Arábia Saudita foi o 2º maior destino da carne brasileira, papeis e seus derivados, plásticos e seus derivados, açúcares, o café e as frutas tropicais e seus derivados.


Muitas Oportunidades Não é Mesmo, Ficou Interessado?


Para realizar uma exportação de sucesso diversos fatores devem ser levados em consideração. Por isso, nós da XPORT Jr., Empresa Júnior de Consultoria e Suporte Internacional da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, passamos quase uma década nos comprometendo em realizar Análises de Mercado Internacional, analisando, assim, a situação política, econômica, social, tecnológica, ecológica e legal, além também, dos dados de consumo, renda e muito mais. Sempre buscando o local mais apropriado para inserir o seu produto e obter o sucesso da sua exportação.


Caso deseje saber mais sobre esse e mais assuntos, sinta-se à vontade para entrar em contato conosco clicando aqui e agende também uma reunião gratuita com algum de nossos assessores para tirar todas suas dúvidas.

98 visualizações
contato.xportjr@gmail.com
Rodovia BR 465, Km 7 - ICHS, UFRRJ, Seropédica
CNPJ: 20.994.947/0001-72
  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn