Buscar
  • Pedro Neto

Aprenda os 3 Passos Para Começar a Exportar!

Atualizado: Set 18



Quando falamos em exportação, muitos clientes imaginam ser algo muito distante da sua realidade – seja pelos preços, distância ou até mesmo por não ter contatos no exterior. Sabendo disso, fizemos este post para descomplicar um pouco as exportações e te mostrar que, no fundo, ter a ajuda de quem entende do assunto é tudo que você precisa!


Então, antes de começar nosso texto de fato, não se esqueça de ler pensando na sua empresa: dessa forma, você já vai assimilando o conteúdo de forma prática e construindo insights pra utilizar futuramente!


1. Exportar para onde?


Antes de qualquer coisa, você precisa mandar seus produtos para algum lugar, não é mesmo? Parece trivial (e de fato é), mas você já parou para pensar como as pessoas descobrem onde vão vender seus produtos no exterior? Existe uma etapa na exportação que acontece antes mesmo dela acontecer!


O nome correto dela é Análise de Mercado Internacional e, basicamente, consiste em encontrar o melhor lugar do mundo para exportar seu produto – ou sinalizar que não é o melhor momento para vendê-lo no exterior. Útil, não?


Para isso, são necessárias muitas horas buscando todas as variáveis mundo afora para encontrar o seu sucesso: onde esse produto é mais consumido? Em que forma as pessoas o consomem? Onde ele rende mais? Qual câmbio é mais propenso ao lucro? Onde o processo é menos complicado?


Enfim, é necessário entender a dinâmica internacional do produto que sua empresa fornece para que, felizmente, você não caia de paraquedas no lugar errado ou empregue seus recursos de forma errada. Essa fase é crucial para evitar surpresas indesejadas quando for vender para fora da fronteira.


Aliás, também é importante levar em conta fatores políticos, econômicos, sociais, tecnológicos, ambientais e legais: imagina só escolher o lugar que seu produto é mais valorizado, mas existe um conflito civil que você desconhecia ao escolher esse destino? Realmente, qualquer detalhe faz a diferença e é importante mapeá-los ao máximo.


2. Quais são as regras exigidas?


Ok, mas e agora? Depois de descobrir o destino de suas valiosas cargas, agora é preciso saber os passos burocráticos para enviá-las. Isso mesmo: a parte de documentação, instituições, requisitos legais do produto, embalagem necessária, barreiras sanitárias e tudo mais que você ainda nem ouviu falar.


No Planejamento de Exportação, ter o auxílio de alguém que tenha experiência na área é muito importante, já que costumam haver mudanças nos processos e, caso falte um comprovante que seja, pode ser que toda sua carga seja barrada antes mesmo de sair da fronteira.


Então, esse levantamento é feito por meio de contatos por telefone com os órgãos regulamentadores do nosso país, análise de notas e listas geradas por esses mesmos órgãos em suas fontes oficiais ou até mesmo consulta pessoal com outras empresas que tenham passado pela temida burocracia alfandegária.


Dessa forma, logicamente, se evitam problemas posteriores na hora de exportar e, o mais importante: seu dinheiro passa a render mais. Isso mesmo! O planejamento de exportação maximiza sua eficiência e até mesmo lucro como empresa.


É simples: avisada de todos os procedimentos obrigatórios, sua empresa não arcará com taxas extras por descumprimento de normas. Pode parecer que não, porém é mais comum do que você imagina. Por exemplo, uma das exigências alfandegárias é a declaração do valor do produto circulante: caso um desavisado não declare o valor correto, ocorre uma multa.


Essa multa, chamada de Multa de Revaloração, corresponde a 100% da diferença entre o valor declarado e o estimado pela Polícia Federal. Pode acreditar que esse “errinho”, multiplicado pelo número de containers exportado e a quantidade de produto dentro de cada um deles não vai sair nem um pouco barato pra sua empresa!


Portanto, atenção ao planejamento de exportação e à escolha de quem o ajudará pois, como vimos, qualquer detalhe vai ser crucial para o sucesso de todo esse investimento – que deve voltar com forte valorização.


3. Localizando os clientes


Agora, você já sabe para onde vai seu produto e todas as etapas burocráticas necessárias para chegar até lá! Mas ainda falta algo importante, não? Como bom comerciante que é, com certeza já deve ter imaginado: onde estão meus clientes?


Exatamente! Essa etapa, também chamada de Prospecção de Mercados, vai encontrar pessoas que vão comprar seu produto. Como já é de se imaginar, é extremamente útil para as empresas que estão exportando pela primeira vez ou que estão expandindo seus negócios para novos países.


De um modo resumido, você vai precisar de uma equipe que fale várias línguas e muito tempo disponível para usar telefones, e-mails e até fax, conforme a região do mundo. Isso, porque os contatos são feitos de forma individual (sim: um a um) tendo como base listas enormes de possíveis interessados.


Assim, conforme são feitos os contatos, é necessário filtrar aqueles que demostraram algum tipo de interesse (são clientes em potencial). Após isso, é só começar a negociar e, finalmente, iniciar as exportações de fato!


Ufa! É muita coisa, não? Exportar, de fato, não é algo que deve ser feito às cegas, mas traz um bom retorno para quem investe – não é à toa que o setor tem crescido gradualmente no nosso país!


E você? Enxergou potencial de exportação na sua empresa? Nós, da XPORT Jr., somos especialistas em suporte internacional e auxiliamos firmas brasileiras a exportar a quase uma década! Além disso, temos um dos melhores preços do mercado nacional! Clique aqui e tire suas dúvidas com nossa equipe! Realizar seu sonho de exportar pode estar a um clique de distância!

96 visualizações
contato.xportjr@gmail.com
Rodovia BR 465, Km 7 - ICHS, UFRRJ, Seropédica
CNPJ: 20.994.947/0001-72
  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn