Buscar
  • Dayane Oliveira

A Relação Comercial Entre Brasil e Chile: Potencial Da Transação E Perspectivas Para O Futuro



A tradicional relação comercial entre Brasil e Chile movimentou na última década US$20 bilhões em fluxos bilaterais. Os países figuram entre os principais parceiros comerciais do outro, sendo o país andino o segundo maior parceiro comercial do Brasil na América Latina e o 9° maior no mundo, enquanto o Brasil constitui o principal parceiro chileno na região, responsável por 30% de suas exportações.


Devido a tradicional e bem sucedida parceria comercial, Brasil e Chile tem trabalhado nos últimos anos para ampliar e aprimorar suas relações econômicas e comerciais, onde desde 1996 vêm firmando acordos que estabelecem o livre comércio de bens e serviços e buscam promover investimentos, cooperação econômica, científica e tecnológica, e a redução da burocracia no comércio bilateral.


A última iniciativa de aprofundamento das relações comerciais entre os países foi ampliação do acordo comercial firmado na década de 90, o acordo comercial de 2018, que além das facilitações fiscais abrangidas no acordo anterior, promove avanços e facilitações nas transações e negociações entre os países. O acordo conta com o apoio empresarial, sobretudo pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) do Brasil e da Sociedade de Fomento Fabril (Sofofa) do Chile, que enxergam a cooperação como forma de superação da crise econômica causada pela COVID-19.


Principais Produtos Exportados Para O Chile


Como dito anteriormente, o Chile é um grande consumidor do produto brasileiro, exportando em maioria produtos manufaturados como autopeças e papel que constituem 57,8% das exportações. Produtos básicos, como óleo bruto de petróleo e carnes, representam 40,1%, enquanto semimanufaturados compostos principalmente por farelo de soja representam 2,1% das exportações totais. Os produtos brasileiros mais exportados para o Chile em 2020 foram:


• Óleo bruto de petróleo

• Carne bovina desossada, fresca ou refrigerada

• Partes e acessórios de veículos automotivos

• Demais produtos (indústria de transformação)

• Veículos rodoviários

• Farelo de soja

• Veículos para transporte de mercadorias e usos especiais

• Carne suína fresca, resfriada ou congelada

• Papel e cartão

• Produtos laminados planos de ferro ou aços.


O petróleo, produto brasileiro mais exportado, foi responsável por uma receita de US$

637 milhões, seguido de carne bovina que foi responsável por US$ 374 milhões em

arrecadações. Autopeças, veículos, papel e cartão foram a maioria das exportações, somando US$ 746,7 milhões.


Acordo de Livre Comércio de 2018


Além da relação comercial, Brasil e Chile nutrem também uma boa relação diplomática

e têm trabalhado nos últimos anos para aproximar os blocos que integram, Mercosul e Aliança do Pacífico, respectivamente. Em 1996, Mercosul e Chile deram um grande passo para a facilitação da comercialização entre os países, celebrando um acordo comercial que

estabeleceu uma área de livre comércio para bens e serviços e promoveu cooperação

econômica e investimentos mútuos.


O acordo de 1996 já era muito vantajoso por derrubar barreiras fiscais na comercialização entre os países do Mercosul e Chile, contudo, Brasil vêm trabalhando para aprimorar e aprofundar o comércio bilateral com o Chile através de ampliações no acordo. O mais recente foi assinado em 2018 que traz novas regras para a facilitação de investimentos e comercialização no setor de bens e serviços. Dentre as novidades do acordo estão o roaming internacional de telefonia móvel, que promete facilitar a comunicação entre pessoas e a transmissão de dados entre empresas de tecnologia e comércio exterior. Outra vantagem inédita é a permissão da participação de micro e pequenas empresas em licitações de ambos os países, possibilitando a maior participação em discussões e processos internos além da competição igualitária com fornecedores e empresas locais.


De modo geral, o acordo busca impulsionar o comércio de bens e serviços e incentivar

investimentos mútuo entre os países reduzindo custos e burocracias sobre as exportações

facilitando o trânsito de mercadorias, além de permitir maior participação de envolvidos na

comercialização de produtos com os países em licitações o que é visto como um grande

incentivo para a circulação de mercadorias e atração de investimentos.


Cenário Político E Econômico Chileno


Com uma das economias que mais cresceu na América do Sul nas últimas décadas, o

Chile também é conhecido pela sua transparência financeira e política e tem ganhado

destaque no cenário político pela sua efetiva condução da pandemia, conseguindo reduzir as taxas de morte e contaminação através da vacinação em massa da população. As projeções para o ano de 2021 são positivas para os chilenos, o Fundo Monetário Internacional (FMI) previu um crescimento de 6,2% para esse ano.


Devida a boa relação comercial e diplomática, a localização e a situação política e

econômica, ineditamente tranquilas na América Latina, o Chile se estabeleceu como um

parceiro comercial estratégico do Brasil e as transações entre ambos devem ser mais

aprofundadas nos próximos anos.


Como A XPORT Jr. Pode Te Ajudar?


Se após a leitura desse artigo você se interessou sobre o mercado chileno e deseja

exportar seu produto para o país andino, saiba que um bom planejamento é de suma

importância para a redução de riscos e prejuízos no processo de exportação. Entender o perfil de consumo e a concorrência, bem como toda a exigência burocrática ligada ao processo da saída do produto do Brasil e sua chegada ao país de destino é muito importante para a realização de um processo de exportação bem-sucedido.


A XPORT Jr. é uma empresa que propõe soluções em comércio exterior e suporte

internacional há mais de 10 anos e oferece serviços de análise de mercado internacional,

planejamento de exportação e prospecção de mercados para um processo de exportação

seguro e bem sucedido. Entre em contato conosco para conhecer mais nossos serviços!

43 visualizações0 comentário